Economia de Comunhão recebe homenagens e dá continuidade nas suas ações no Ceará


Na última semana de abril, a Associação Nacional por uma Economia de Comunhão (Anpecom) esteve em diversos munícipios do Ceará para conhecer a situação da região e para dar continuidade nas suas atividades. A ocasião também foi de encontro a uma homenagem que a Anpecom recebeu na Assembleia Legislativa do Estado do Ceará em nome da Economia de Comunhão (EdC) pelos seus 25 anos e pela sua atuação em projetos de incentivo a cultura e ao empreendedorismo, dando apoio aos projetos Cabra Nossa, Casa Digital, Programa Arca das Letras e a Jornada Empreendedora no Estado do Ceará. A solenidade aconteceu no dia 24 de abril, no auditório da Assembleia, em Fortaleza, por meio do convite do presidente da comissão de Desenvolvimento Regional, Recursos Hídricos, Minas e Pesca, deputado Carlos Matos, que desde 2005 tem contato com a EdC.
A Anpecom participou também da Assinatura do Decreto de Desapropriação da Área Pública da sede da fazenda Uruanan, a convite do governador do estado, Camilo Sobreira de Santana. O ato público da desapropriação foi no dia 23, no município de Chorozinho (40km de Fortaleza). De 10 mil hectares da área total, apenas 10% será desapropriada e cerca de 900 famílias serão beneficiadas. “É uma história de luta de 12 anos no Ceará e que a Secretaria de Desenvolvimento Agrário está trabalhando para resolver o problema de cinco mil famílias que estão alocadas nesses 100 mil hectares. Portanto, a desapropriação de 10% já é significativa para amenizar um pouco dos problemas sociais dessa região”, comenta Marcelo Cassa, membro da Anpecom.


Segundo Cassa, essa região envolve cinco municípios com população total de mais de 200 mil habitantes. E são mais de cinco mil famílias, representando mais de 20 mil pessoas, que estão a margem dessa comunidade, que não é nem rural e nem urbana. “Essas pessoas sofrem muito com a descriminação social”, diz ele. “O Ceará é um estado que se desenvolveu economicamente nos últimos anos, mas a população cresceu em maior proporção. Então, a renda per capita é  baixa e a desigualdade social é muito grande”, conclui.
Outra ocasião que envolveu as ações no Ceará na última semana foi a reunião organizada pela Casa Civil do Governo do Estado com representantes de várias secretarias. Teve uma apresentação da EdC e da Anpecom com o objetivo de divulgar o projeto, bem como criar novas parcerias e desenvolver novos trabalhos.
E por fim, a Anpecom visitou o conjunto Palmeiras – uma comunidade que morava na Zona Sul, beira mar de Fortaleza, e há 40 anos foi transferida para a Zona Norte, perto de um lixão, que agora está desativado. Para que essa comunidade conseguisse se desenvolver, o empreendedor, Joaquim de Melo Neto, criou um banco comunitário, o Banco Palmas, que está dentro de uma organização não governamental e contribui para o progresso de todo o bairro, desde esgoto, asfaltamento, creche, centro de nutrição, laboratório digital e coleta de lixo, entre outros. Os moradores trabalham para que a comunidade se desenvolva.
Após a visita ao Ceará a ideia é que novas sinergias nasçam entre a EdC e o diferentes agentes do estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *